;

quarta-feira, 29 de abril de 2015

South Park - The Stick of Truth: a brincadeira mais épica de todas!

Sou um grande fã da série de desenho animado South Park, é uma das melhores séries animadas de todos os tempos (junto com Family Guy e os Simpsons) na minha opinião.


Entre meus episódios favoritos, não só da série como de praticamente todos os desenhos (para você ver o quanto é bom), são o da trilogia Black Friday. Três episódios seguidos (Temporada 17, episódios 7, 8 e 9) mostrando uma batalha épica e ainda por cima baseada numa das melhores séries de todos os tempos: Game of Thrones!
 
As referências aos livros de George R.R. Martin e sua série derivada são várias, o autor até aparece na série e parece que ele tem um amor por... pênis. Isso explica a grande quantidade de pênis aparecendo na série. Enfim, há outras referências como: os membros da Patrulha da Noite são os seguranças do shopping e os fanáticos compradores são os selvagens, há os jardins onde a traição corre solta, há uma princesa rebelde, entre muitas mais. Um dos personagens, Butters, até diz que está assistindo a série, porém fica inconformado pelo fato dos dragões e zumbis nunca aparecem e por haver uma intensa exibição de nudez.


Farei um resumo rápido dos episódios. Os meninos de South Park estão ansiosos pela chegada da Black Friday, o dia no ano em que a maioria das lojas dos Estados Unidos dá descontos imensos em seus produtos. É a chance perfeita para comprarem um console da nova geração. Todo o planejamento dos garotos corre bem até que eles discordam sobre qual console comprar: o Xbox One ou o Playstation 4.
Isso divide a turma (divide até os protagonistas) em dois exércitos e gera diversos conflitos pela procura por aliados para a guerra final, porém essa disputa toma proporções maiores que uma simples brincadeira quando a Sony (que faz o Playstation) e a Microsoft (que faz o Xbox) entram no confronto e começam a criar uma guerra de verdade, com gente morrendo e tudo mais.
Mas no fim todos entram em consenso e conseguem um console novo, jogam por algumas horas e já se cansam. Ao término do episódio Cartman faz um discurso sobre não precisarem dos videogames para se divertirem. Ele diz que toda a aventura que tiveram foi bem melhor que o tempo jogando e que poderiam se divertir com qualquer coisa, desde que estejam juntos. Diz ainda que poderiam se divertir até com... um graveto! E surge um anúncio do jogo.


Há ainda algumas cenas nos episódios onde os personagens aparecem desenhados em estilo de anime (claro que exagerando bastante as características, como o excesso de expressões como "desu" e "kawaii").


Enfim chegamos ao jogo. Ele é uma continuação desses três episódios, onde a diversão dos garotos se expande e eles continuam brincando, mas dessa vez trazendo o Cajado da Verdade, um objeto que dá a que o possuir o poder para controlar o universo. Tudo isso na brincadeira, é claro, já que o cajado é um simples graveto.


Tudo começa quando o seu personagem, alguém totalmente inédito que você cria e customiza antes, chega para morar em South Park. Seus pais pedem para você conhecer a cidade e fazer novos amigos enquanto eles ajeitam a mudança. Andando pelas ruas você encontra Butters e tem que ajudá-lo a enfrentar um garoto vestido de elfo. Depois de derrotarem esse inimigo, Butters revela que é um paladino e te leva até o Castelo Koopa. Em inglês o nome da base é Koopa's Keep Kingdom, que Cartman costuma abreviar para KKK (que também é a sigla da Ku Klux Klan, a temível organização racista que perseguia negros nos Estados Unidos).


Lá Cartman te chama para brincar e pede para que você escolha uma classe, como nos clássicos RPGs. Você pode escolher: mago, guerreiro, ladrão ou judeu. Cada classe te oferece armas e habilidades únicas. Ele explica também sobre os Pontos de Poder, que ele abrevia como PP, motivo de risos dos demais já que a pronúncia dessa sigla é "pipi", deixando Cartman bem irritado. Ele também te ensina como duelar.
Seu objetivo é acabar com o exército rival, um grupo de garotos vestidos de elfos que estão espalhados pela cidade, porém possuem uma base na casa do Kyle, que era aliado de Cartman mas trocou de lado.
No meio de tudo isso South Park é invadida por alienígenas e por nazistas que querem transformar a todos em zumbis e você deve acabar com eles, sem sair da brincadeira. Você ainda vai enfrentar inspetores de corredor ruivos, ratos, duendes, fetos abortados, mais alienígenas e até corporações inteiras. Vai aprender como fazer um aborto, como se livrar de uma sonda anal, vai entrar no esgoto para conhecer uma família de fezes...

Você pode coletar roupas novas, armas, itens e participar de duelos contra vários personagens. Pode ainda ajudar os habitantes de South Park com problemas corriqueiros para receber recompensas, que podem ser objetos úteis ou dinheiro. Existem colecionáveis também, são os Chinpokomons (paródia dos Pokémons) e há uma rede social onde você pode se tornar amigo dos habitantes e ver seus status, além de gerenciar suas missões. E além de tudo isso você deve cumprir as missões principais para que o jogo se desenrole, principalmente enfrentando as invasões e convocando novos membros para apoiar o seu lado, como os góticos (que são absurdamente fortes), as crianças do jardim de infância e os garotos que brincam de Star Trek. Você tem até mesmo que se arriscar em recrutar... as garotas! Elas só querem saber de paparicar astros teens, então é uma tarefa e tanto, que até envolve seu personagem se vestindo de garota!


Existe até uma parte onde você vai para o Canadá, que parece um jogo 8 bits.
O jogo está cheio de referências a série de desenho, mostrando personagens, eventos ou citações de todas as temporadas já exibidas. Esse foi um dos fatores que fizeram o jogo ser um sucesso: a fidelidade com a origem. Se você já assistiu o desenho então vai se divertir procurando referências.

Quem já jogou um bom RPG sabe como é o estilo de combate. E South Park - The Stick of Truth adotou esse modelo de forma fantástica!
As jogadas são por turnos. Na sua vez você pode escolher uma arma ou um ataque especial para infringir dano no inimigo e o objetivo é reduzir a vida dele a zero. Existem poções e itens que podem acrescentar pontos na sua vida, equipar seu personagem para resistir a mais ataques e remover efeitos malignos.


Uma das partes mais legais do jogo é que todos os itens, sejam as armas ou as poções, são coisas do cotidiano, como bolas de basquete, garrafas e artefatos de papelão e madeira. Os castelos são feitos de madeira e papelão, com cordas, e pintura. Portanto tudo não passa de uma brincadeira de verdade, apesar de coisas absurdas acontecerem.

E o humor? Continua muito fiel ao desenho e deixa o jogo muito mais divertido. Ok, ele não está dublado, então não temos a hilária voz do Cartman (sim, eu prefiro o dublado), porém temos as legendas em português que foram, por um milagre, muito bem traduzidas e que não foram nem um pouco censuradas. Todos os palavrões, piadas racistas, estereótipos e ofensas estão lá! Então a comédia está garantida! Eles até dublam os zumbis nazistas com discursos originais do Hitler!
Eu sei que pode parecer ofensivo demais, mas é o estilo da série e não poderia ficar de fora do jogo. É humor negro, e eu admito que é engraçado sim, mas se você se ofende fácil é melhor nem chegar perto (evite o estresse e não vá criticar o jogo!). Antecipo algumas coisas: há piadas com religiões, etnias, homossexualismo, cenas de sexo... tudo que fez a série ser bem polêmica e famosa.

Se você quiser ganhar algumas conquistas no jogo então vai precisar jogá-lo mais de uma vez. Mas isso não é um problema, esse jogo foi feito para ser jogado mais de uma vez. Até porque ele possui dois caminhos a serem seguidos: em certo ponto do jogo você tem que escolher entre ficar do lado do Cartman e os guerreiros ou do lado do Kyle e os elfos. Essa decisão muda algumas coisas do jogo, porém o fim é o mesmo porque os dois exércitos se unem contra um inimigo em comum: Clyde, que logo no começo decide parar de brincar, porém depois se revela um grande vilão.

Existem alguns personagens que te ajudam diretamente nos duelos sobre os quais gostaria de comentar. 
Cartman é incrivelmente poderoso, sem falar que é ele que te ensina os peidos especiais, muito úteis no jogo.
Butters é um dos mais fortes, com ataques poderosos para detonar de uma vez e ataques simples, mas também poderoso, que acabam com o adversário que já tem pouca vida sem que você precise desperdiçar muitos PP.
Kenny possui um ataque devastador que envolve ratos e ataca todos os adversários ao mesmo tempo.
Stan é forte, mas não é um personagem que eu usava muito. Também achei que ele ficou meio apagado no jogo.
Já o Kyle não é tão forte assim quando está com você, quase nunca jogava com ele. Kyle só desperta seu poder quando se descobre como um elfo.


Se você sempre quis viver uma aventura assim quando era criança, mas acha que não tem gente suficiente ou está velho demais para sair vestido como mago ou guerreiro por aí, essa é a sua chance perfeita de vivenciar essa experiência. Sabe, até eu senti isso! A maioria dos jogos foge da realidade, porém esse (apesar de fugir de vez em quando) explora principalmente a simplicidade de uma brincadeira de criança.
Enfim, termino aqui esse texto dizendo: joguem e divirtam-se!

South Park - The Stick of Truth foi lançado oficialmente em 2014, desenvolvido pela Obsidian Entertainment e distribuído pela Ubisoft, tudo em parecia com a South Park Digital Studios, que produz o desenho. Está disponível para PC (Windows), Xbox 360 e Playstation 3.


Essa postagem é uma preparação para uma série de informações sobre o jogo. Até agora, pelo que planejei, teremos: lista de armas, de roupas, amigos e os Chinpokomons.

Até a próxima postagem!

Nenhum comentário:

Postar um comentário