;

sexta-feira, 19 de julho de 2013

A relação da Segunda Guerra Mundial com Mangás e Histórias em Quadrinhos

Às vezes pode ficar óbvio, às vezes não. Mas algumas histórias em quadrinhos são visivelmente uma forma de influência muito forte. Agora pode ser que nem tanto, mas há alguns anos foi uma forma de propaganda muito forte. Mais precisamente durante a Segunda Guerra Mundial, na década de 40.
Revistinhas em quadrinhos de super-heróis não passavam de 10 centavos (EUA), e se tornavam bem comuns. E elas chegavam principalmente aos jovens, os "futuros soldados".
Assim, muitos super-heróis e histórias foram surgindo como forma de influência e mostra de poder.
Veja o Capitão América por exemplo. Ele foi criado como uma forma de incentivar os jovens dos Estados Unidos a se alistarem no exército para a Segunda Guerra Mundial. Ele é praticamente uma propagando ambulante dos Estados Unidos. Veja isso com a roupa dele.
E veja esta capa de uma das revistas do Capitão América:



Sim, ele está dando um soco em Adolf Hitler, o ditador nazista da Alemanha durante a Segunda Guerra Mundial. Isso foi claramente uma forma de mostrar como os Estados Unidos venceriam os nazistas.

E veja um inimigo do Capitão América, o Caveira Vermelha. O que ele é, além de um supervilão? É um oficial nazista! E a maioria dos inimigos do Capitão América também eram nazistas.



E vocês se lembram da H.I.D.R.A.? A organização criminosa, inimiga do Capitão América e também dos X-Men, tem fundações nazistas. E a saudação dos soldados, um "Hail HIDRA", é claramente baseado no "Hail Hitler", a saudação dos nazistas.




Temos também a Mulher Maravilha. No uniforme dela vemos várias coisas relacionadas aos Estados Unidos, como a águia dourada no peito (a águia é o símbolo dos EUA), estrelas em fundo azul na saia, e as cores da bandeira. Ela foi criada para mostrar as mulheres dos soldados (que iam para a guerra) que elas poderiam se cuidar sozinhas, pois tinham potencial. 



Existia até um vilão do Capitão Marvel, chamado Capitão Nazista, que era claramente uma representação do Nazismo. É claro que ele sempre perdia. E ele mostrava o padrão de perfeição para Hitler: alto, forte e loiro.



Veja alguns quadrinhos bem sugestivos:




E uma das principais razões de termos os mangás e animes hoje em dia foi a Segunda Guerra Mundial. O Japão também participou da guerra, e foi ele o responsável por provocar os Estados Unidos. E no fim foi o Japão que se deu mal. Além de muitas províncias serem campo de batalha, tivemos ainda as duas bombas atômicas em Hiroshima e Nagasaki. E ainda por cima muitos países perderam a confiança no Japão, desfazendo alianças. Isso quebrou a economia do país.
A produção estadunidense começou a predominar no país, que começava a se reconstruir. Foi aí que muitos japoneses começaram a conhecer os estilos de animação dos Estados Unidos, como os clássicos de Walt Disney. E foi inspirado nessas animações que um homem revolucionou o mangá, e ele se chama Osamu Tezuka. Foi ele que inseriu o estilo de mangá que conhecemos hoje em dia, com olhos grandes, cabelos malucos, expressões dramáticas e tudo mais.





É incrível pensar que uma coisa tão ruim como a guerra nos trouxe coisas tão boas...


Até a próxima postagem!
Comentários
1 Comentários

Um comentário:

  1. cara na capa do redskull é claramente a bandeira do japão com as cores invertidas reforçando a antipatia entre esses países

    ResponderExcluir